O efeito manada!



Ora viva! Desde já, quero fazer um disclaimer: o conteúdo deste post é totalmente opinativo e foi baseado nas minhas observações e experiências profissionais acumuladas. Portanto, não se trata de uma receita, nem uma verdade que não possa (e mereça) ser contestada!!


Não é de hoje que conhecemos a máxima que diz “A grama do vizinho é sempre mais verdinha”, não é mesmo? Sim, em qualquer tempo temos que nos debater contra essa tentação de nos depreciarmos frente ao sucesso de um concorrente ou mesmo de um colega de profissão. Normal, somos humanos. E, na maioria das vezes que temos esse sentimento, nos sentimos tentados a fazer exatamente o que tem feito o nosso “vizinho”. E muitas vezes nos decepcionamos com o nosso resultado porque nos esquecemos que, provavelmente, houve uma estratégia para que aquele “vizinho” fizesse daquele jeito. Por mais que nos esforcemos não conseguiremos reproduzir todas as condições do outro, pois nossa realidade será sempre diferente, em diversos aspectos. Mas, mesmo assim nos sentimos frustrados, via de regra. E é assim que muitas pessoas começam novos negócios: sem se dar ao trabalho de analisar a situação, mas porque ouviu dizer que aquilo “está dando dinheiro”. E é assim que temos o cenário perfeito para o efeito manada! Mas, os resultados podem ser desastrosos.


E por que estou dizendo tudo isso agora? Porque não é de hoje que o universo digital chegou à nossa realidade. Para dizer a verdade, tem mais ou menos 30 anos que começamos a incorporar nas nossas atividades pessoais se profissionais recursos tecnológicos da era digital – e-mail, chats, sites, vídeo chamada e muitos outros recursos.


Os meus últimos 10 anos profissionais têm sido dedicados a entender e a usar o digital de maneira estratégica, tanto para mim, quanto para as empresas que eu atendo. E o que aprendi nesse período? Que tudo faz parte de um processo. Que o Marketing Digital é uma realidade e que funciona, disso eu não tenho dúvidas. Mas, muitas empresas ainda têm. Não é raro eu visitar uma pequena empresa para apresentar nosso trabalho e ouvir uma das seguintes frases (quando não todas na mesma conversa): “O Marketing Digital é muito caro. Eu não posso pagar por isso”; “O Marketing Digital não funciona para o meu segmento de atuação”; “Eu não acredito nesse negócio de digital. Funciona só para grandes empresas”. Essas são apenas algumas das objeções com as quais quase já me acostumei.


O que sempre falo às empresas é que o Marketing Digital, assim como qualquer outra estratégia, precisa ser pensado a longo prazo, mas que os resultados surgem de maneira muito mais rápida do que com o Marketing tradicional, além de ser incrivelmente possível de mensurar os resultados, quase em tempo real. Ou seja, não há mágica, mas um trabalho consistente e continuado ao longo do tempo.


Também nunca disse às empresas para abandonarem os negócios tradicionais e se focarem somente no digital. Há negócios que nascem digitais e assim permanecem por suas características. Mas, há outros que podem e devem operar na modalidade híbrida – digital e tradicional, obtendo assim o melhor resultado dos dois mundos. Trata-se aqui de não colocar “todos os ovos na mesma cesta”!


Eu, por exemplo, poderia operar com os meus negócios apenas na modalidade online – hoje, opero com 80%. Mas, eu gosto do contato com as pessoas, eu gosto de ensinar e quero ter várias fontes de receitas. Então, deixei 20% da minha atuação para os formatos offline – cursos, palestras, consultorias e outros. Esta foi uma decisão estratégica minha. Cada empresa pode e deve ter a sua.


Então, diante do atual momento que estamos a viver onde, “nada do que foi será, do jeito que já foi um dia” (como dizia o cantor), eu vejo surgir na multidão aqueles que querem “vender lenços” aos desesperados. Sim, em todo momento de crise surgem sempre essas duas figuras. O mundo será totalmente diferente após a crise do Coronavírus – as relações de trabalho irão mudar, o uso da tecnologia irá se incorporar definitivamente às rotinas, às reuniões de trabalho e às práticas de treinamento e desenvolvimento. Disso eu não tenho dúvidas. Mas, será hora de sair correndo e mudar as coisas de qualquer jeito, ao estilo comportamento de manada?


Os “vendedores de lenço” ficam a propagar ao vento que todos podem e devem transformar os seus negócios em digital, para que outra crise como esta não venha a impactar os negócios e blá, blá, blá. Mas, um negócio digital não nasce de uma noite para o dia. Não se trata de apertar um botão e tcharam... tudo ficou digital!! Como disse antes, é um processo que deve estar dentro de uma estratégia.


Minha sugestão é que as empresas aproveitem esse momento para repensar os seus negócios. O que faz sentido manter offline? O que faz sentido transformar em online? Como usar o online para gerar mais resultados ao negócio offline? Mas, atenção: é preciso planejamento e dar tempo ao tempo. Não pense que dentro de um mês tudo poderá estar digital, a bombar! Estou a ser realista.


Então, se você é um desses descrentes do poder do Marketing Digital, eu sugiro que transforme o problema em solução. Sim, você tem um problema, pois os seus negócios usam pouco do digital. Mas, a solução está nas suas mãos: aproveite o momento e elabore uma estratégia de MKT Digital para o seu negócio – consistente e a longo prazo, diversifique as suas fontes de receitas, aumente a sua visibilidade. Posso te garantir que funciona.


Saia da fila do efeito manada e não acredite nas fórmulas prontas e promessas mirabolantes. Lembre-se: o problema é a solução.


Sucesso.


Márcia Malvina

7 visualizações

Siga-nos nas redes sociais

  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone Instagram

© 2020 por HUBWEB Smart Ideas & Solutions